Colonoscopia

Esta é uma técnica simples e bastante segura, e permite realçar a mucosa de diferentes órgãos do corpo.
banner-colonoscopia

Colonoscopia

A colonoscopia é responsável por detectar o aparecimento de doenças intestinais, como o câncer no intestino e colite ulcerativa.
Esse exame flagra inflamações na parede intestinal, além de verrugas – os pólipos -, que podem ser pré-cancerosas, e tumores. Muito melhor do que a cirurgia que abre o abdômen até atingir o intestino grosso – usada até a década de 1970, quando a colonoscopia chegou ao Brasil.

Quando devo fazer?

O exame é obrigatório para quem tem mais de 50 anos, e a partir dos 30 anos para pessoas com histórico de câncer na família. Sangue nas fezes e dor contínua na parte do instestino também merecem uma investigação mais aprofundada.

Já a frequência, depende dos achados durante o exame e de quando ele é foi feito pela primeira vez. Se ela não encontrar nada, a sugestão oficial – pelo menos até o momento – é que seja repetida a cada dez anos. Muitos médicos, porém, preferem repetir o exame a cada cinco. Por considerarem mais seguro.

A evolução do pólipo para o câncer pode demorar até uma década. Quando a metamorfose ocorre, ela é traiçoeira. Dores, diarreias alternadas com constipações e sangramentos costumam aparecer na fase avançada da doença. Então, o tratamento é drástico.

Entendendo o exame:

  • Com o paciente sedado e deitado, o médico introduz um tubo de 1 metro de comprimento pelo ânus. Ele então percorre as cinco primeiras curvas do cólon, com uma minicâmera na ponteira que transmite as imagens, aumentadas até 150 vezes, para a tela de um computador do médico;
  • Se o médico identificar algumar alterações na mucosa, como uma inflamação, ele ativa uma pinça que retira um fragmento da lesão para posteriormente fazer a biópsia.
  • Caso esbarre em lesões malignas, o próprio colonoscópio pode retirá-las de maneira segura. Tudo isso costuma durar cerca de 20 minutos.

Testes complementares também podem ser solicitados

Existem outros testes que podem detectar problemas no intestino

· Sangue oculto nas fezes
No laboratório, procuram-se rastros de sangue nas fezes, que podem significar lesões. Mas o exame não localiza o ponto exato de onde vem o sangramento. Às vezes a origem pode estar no estômago. E aprenda: pólipos intestinais não sangram. Portanto, se há sangue proveniente do intestino, ou ele vem de hemorroidas ou, se é tumor, o câncer já está avançado.

· Retosigmodoscopia
É parecida com a colonoscopia, só que ela visualiza lesões no reto e no lado esquerdo do cólon. A grande crítica é deixar à mercê da sorte o lado direito.

· Colonoscopia virtual
O método faz uma tomografia do intestino sem introduzir um tubo para saber se há pólipos. Mas é preciso insuflar ar por ali para obter as imagens, o que pode doer.

· Hemograma simples
Ele não flagra o câncer em si. Mas muitos tumores, especialmente no lado direito do intestino, que sangram a ponto de provocar anemia. Ela é tão forte e repentina que o paciente sente até taquicardia. Daí o recado: quem está com anemia tem um bom pretexto para fazer uma colonoscopia.

Agende uma consulta

Compartilhar nas redes

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Agende seu horário

Deixe seus dados e uma data disponível para agendamento que a nossa equipe entrará em contato para confirmar uma avaliação.