Teste do Hidrogênio Expirado

Esta é uma técnica simples e bastante segura, e permite realçar a mucosa de diferentes órgãos do corpo.
Medicalexpo

Teste do Hidrogênio Expirado

O que é teste do Hidrogênio expirado:

O teste respiratório do hidrogênio expirado é um exame que utiliza a medida do hidrogênio na respiração para diagnosticar várias condições que originam sintomas gastrointestinais.

O teste de fornece informações sobre a digestão de determinados açúcares ou hidratos de carbono, como por exemplo o açúcar do leite (lactose) ou açúcar de frutas (frutose). Isto ajuda a determinar se o paciente tem intolerancia a alguns açúcares.

Um exemplo é o uso deste teste para detectar a intolerância à lactose, um transtorno no qual as pessoas têm sintomas de processamento anormal de lactose, uma substância presente em muitos alimentos. O teste também é feito após a ingestão de lactulose para detectar um crescimento anormal de bactérias dentro do intestino. O supercrescimento bacteriano pode causar uma variedade de sintomas, incluindo diarreia, flatulência, gases e cólicas abdominais.

Em humanos, somente as bactérias – especificamente, as bactérias anaeróbias no colon – são capazes de produzir hidrogênio. Essas bactérias produzem hidrogênio quando estão expostas a alimentos não absorvidos, especialmente açúcares e carbohidratos, não de proteínas ou gorduras.

Quando é utilizado o teste respiratório do hidrogênio expirado?

O teste respiratório do hidrogênio expirado é utilizado para o diagnóstico de três condições.

A primeira é para quando os açúcares da dieta não têm digestão normal no organismo. O mais frequente deles é a lactose, que é o açúcar do leite. As pessoas que não conseguem fazer a digestão apropriada da lactose são chamadas de intolerantes à lactose. O teste também pode ser usado para diagnosticar problemas com a digestão de outros açúcares como a sucrose, frutose e sorbitol.

A segunda é para diagnosticar o supercrescimento bacteriano do intestino delgado, que é uma situação em que um número maior que o normal de colônias bacterianas estão presentes no intestino delgado.

A terceira diagnostica a passagem rápida do alimento através do intestino delgado. Todas essas três situações podem causar dor abdominal, estufamento e distensão abdominal, flatulência e diarréia.

Como é realizado o teste respiratório do hidrogênio expirado?

Antes de fazer o teste respiratório, o paciente deve fazer jejum de 12 horas. No início do teste assopra vagarosamente num aparelho portátil. O aparelho mede a concentração inicial de hidrogênio.

Depois ingere uma pequena quantidade do açúcar a ser testado, nos quais podem ser lactose, frutose, glicose, etc., dependendo do objetivo do exame. Amostras adicionais do ar expirado no aparelho são analisados e medido o hidrogênio a cada 15 e 30 minutos por três e até cinco horas.

Quais são as outras maneiras nos quais o teste respiratório do hidrogênio expirado pode ser utilizado?

Os antibióticos são utilizados para tratar o supercrescimento bacteriano do intestino delgado; no entanto, qualquer antibiótico pode ser eficaz para eliminar o supercrescimento de bactéria somente em 50-60% das vezes.

Então, se os sintomas não desaparecem em um indivíduo após o tratamento com antibióticos, deverá repetir o teste respiratório para determinar se os antibióticos eliminaram a bactéria. Caso não tenha eliminado, um tratamento sem antibiótico ou com um antibiótico diferente pode ser iniciado.

Quais são os efeitos colaterais do Teste do Hidrogênio Expirado?

Os efeitos colaterais do teste respiratório do hidrogênio expirado são exatamente os mesmos que se poderia esperar em pessoas que digerem e absorvem pouco os açúcares e carboidratos, que são, estufamento, distensão, dor, cólica e diarreia.

Quando é utilizada a lactulose estes sintomas são improváveis de acontecer ou são fracos porque a dose de lactulose utilizada no teste é bem pequena.

Existem alternativas para o Teste do Hidrogênio Expirando?

Para diagnosticar a intolerância à lactose, um procedimento alternativo ao teste respiratório pode necessitar de retirar amostras de sangue antes e após a ingestão de lactose. Se a digestão e absorção de lactose é normal, os níveis de glicose no sangue deverão aumentar. A elevação da glicose no sangue ocorre porque a lactose é quebrada para os seus dois componentes que são absorvidos para o sangue, galactose e glicose.

Uma segunda alternativa é dar uma dose de lactose e observar os sintomas do paciente. Se ela for intolerante a lactose pode ocorrer estufamento, dor, distensão, diarreia e flatulência. Uma terceira alternativa é fazer uma tentativa dietética na qual o açúcar que potencialmente acarreta os problemas é estritamente eliminado. Todas estas alternativas, têm suas limitações e problemas.

Já o supercrescimento bacteriano pode ser diagnosticado pela cultura da bactéria com uma amostra de líquido do intestino delgado e contando o número de colônias de bactéria que estão presentes. Este procedimento requer a passagem de uma sonda através do nariz até o estômago sob controle radiológico de maneira tal que o líquido possa ser obtido no intestino delgado.

Esse é um procedimento bastante desconfortável e caro e a maioria dos laboratórios não estão capacitados para fazer culturas com tanta precisão das amostras. Então, este teste não é realizado com certa frequência.

Agende uma consulta

Compartilhar nas redes

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Agende seu horário

Deixe seus dados e uma data disponível para agendamento que a nossa equipe entrará em contato para confirmar uma avaliação.